Cozinhar é Amor Próprio e Segurança Alimentar*

05.06.2015 - 18:18
|

*Por Malu Paes Leme

amor_cozinha

Você gosta de cozinhar?

Bom, eu amo! Mas só fui descobrir esse amor muitos anos depois que eu tinha nascido. Mais precisamente quando descobri o vegetarianismo com meus 17 anos. Desde então busquei e fiz aulas de culinária vegetariana para me virar em casa, e cozinhava diariamente pra mim, errando e acertando, criando e recriando receitas e acabei descobrindo esse amor todo pela cozinha. Depois vim a descobrir mais uma coisa, esse amor todo na verdade era além do ato de cozinhar, era um amor por mim mesma.

Aquela conexão que a gente faz quando cozinha é algo inexplicável. Melhor ainda depois que consumimos aquele alimento feito por nós mesmos, que tem toda uma parte de nós, nossa energia, nossos pensamentos, nosso gosto pessoal… E o melhor é que o ato de cozinhar começa antes com a escolha dos alimentos, depois o preparo que nossas mãos já vão assimilando nutrientes, já vão mandando informações para o nosso cérebro do que a gente vai consumir (e desta forma nós acabamos digerindo melhor), e depois o resultado de uma comida feita com amor, acaba gerando mais amor para dentro de nós e por nós. Melhor ainda se consumimos alimentos saudáveis, naturais, frescos, orgânicos e em seu perfeito estado para consumo.

Aqui em casa eu procuro fazer o máximo de preparações dos alimentos. Sabe aquela comida caseira, mas caseira mesmo? Que até o molho

de tomate sou eu que faço? Então, a proposta de ter uma vida mais saudável e conectada é muito  isso: cozinhar/cruzinhar o próprio alimento.

Mudar o hábito alimentar já é difícil. Incluir um novo hábito de cozinhar é ainda mais difícil para muitas pessoas. Sabe porquê? Porque desde criança ouvimos que dá trabalho e vimos e consumimos alimentos rápidos, de redes de fast food, de saquinho, pacotinho, enlatados, prontos para ir pro microondas, etc. E há muito tempo que cozinhar em casa com a família e ensinar a cozinhar nas escolas virou ultrapassado, pois imagina, não cabe nos tempos modernos onde temos MUITO o que fazer, e perder tempo com cozinha não vale a pena.

Mas, como também temos visto, as doenças estão cada vez mais presentes desde cedo na vida das pessoas. As alergias então! Aposto que você que está lendo este post ou tem intolerância a algum alimento ou esta prestes a ter. Tudo isso nos mostra o quanto distante estamos de nós mesmos. O quanto não estamos nos amando realmente. O quanto damos valor a outras coisas, muitas vezes banais, supérfulas e que só ajudam a nós termos menos saúde, vitalidade e desconexão com tudo.

Comer fora é uma delícia, eu sei. Podemos experimentar pratos diferentes dos nossos do dia a dia, entramos em um ambiente diferente com decoração diferente, somos servidos!, não precisamos ficar um tempão na cozinha… mas será que você vê a cara de quem está cozinhando pra você? Sente a energia que ele/ela está passando para o seu alimento? Você sabe o que eles colocam na sua comida de temperos, aditivos químicos, glutamatos, gordura etc.?

Essas perguntas são importantes de serem feitas quando escolhemos o caminho da saúde.

Nada contra restaurante. Acho ele uma mão na roda, e conheço bons e poucos que são feitos por pessoas com muito amor e conexão aos alimentos e o ato de servir ao outro. Mas, acredito que cozinhar para si mesmo é muito mais seguro pois sabemos exatamente o que estamos colocando pra dentro (nutrientes, temperos, quantidades, etc.), e é um ato de amor a si próprio e uma conexão que fará toda a diferença na nossa saúde.

Quando se trata de alimentação para os nossos filhos aí mesmo que o mais seguro é comer em casa.

A minha proposta com a Alimentação Inteligente é conectar você com você mesmo. Pois foi isso o que eu fiz ao descobrir a culinária saudável e o estilo de vida ativo, conectado e que respeita o meio ambiente que eu vivo.

Para quem deseja se aprofundar nesta reconexão com ato de cozinhar/de se amar/de se auto conhecer, recomendamos conhecer o site da Malu: Alimentação Inteligente e continuar conectado aqui no nosso Blog para colocar a “mão na massa” e as receitas em prática!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website